Dra Graziela Jesus explica o conceito do parto humanizado

Quando se fala em parto humanizado, para muitos a primeira imagem que surge em mente  ainda é de um parto feito excluisavamente em casa, sem anestesia e com pouca ou nenhuma assistência médica especializada.  Embora o conceito tenha sido melhor trabalhado e apresentado com mais frequência como uma opção para as futuras mamães, ainda há dúvidas pertinentes e preconceitos como esses para serem desmistificados.

Dra Graziela Jesus, especiliasta referência na área, esclarece que para um parto ser classificado como humanizado, isso não depende da via que é feito: “Independente se a escolha for pela cesariana ou parto normal será humanizado comigo. Ele pode ser domiciliar, hospitalar ou em qualquer outro local”, afirma.



Dra Graziela Jesus, especiliasta referência na área, esclarece que para um parto ser classificado como humanizado, isso não depende da via que é feito

A ginecologista e obstetra, conta que o parto humanizado começa no pré-natal com a escuta das expectativas da mulher, do casal e da família: “ Cada história é única. O parto humanizado é conhecimento, individualidade e respeito ao que a família deseja”, acrescenta.

Os pilares do parto humanizado

Para Dra Graziela, o parto humanizado precisa da fusão de ao menos três conceitos: respeito, evidência e vontade. “Respeito ao corpo da mulher e ao bebê, evidência científica para embazar qualquer decisão e vontade manifesta da mãe em trazer seu bebê ao mundo”, desenvolve.



Para Dra Graziela, o parto humanizado precisa da fusão de ao menos três conceitos: respeito, evidência e vontade

A especialista garante que essa modalidade de parto é uma via de mão dupla entre a ciência, a fisiologia e os mais variados sentimentos da futura mamãe. “Em suma, humanizar é ouvir, acolher, educar e, principalmente: dialogar”, conclui.

O post Dra Graziela Jesus explica o conceito do parto humanizado apareceu primeiro em Jornal de Brasília.