História da Secretaria de Educação do DF

Antes da transferência da Capital para o Planalto Central em 1960, já havia escolas em cidades do Estado de Goiás que vieram a ser incorporadas ao Distrito Federal, como Planaltina e Brazlândia compondo a sua estrutura educacional.

Além disso, estes dados são dispostos com a seguinte composição: escolas criadas à época e ativas até hoje; as extintas posteriormente e também aquelas em que há relatos de criação, mas não possuem ou não foi encontrada documentação de extinção ou transformação.

Em 1959, foi instituída no Ministério da Educação, a Comissão de Administração do Sistema Educacional de Brasília (CASEB), pelo Decreto nº 47.472 de 22 de dezembro. Essa Comissão ficou responsável pela administração do sistema educacional do Distrito Federal, que vinha sendo exercido pela NOVACAP. Segundo DOURADO (2014) os integrantes dessa Comissão identificaram dificuldades principalmente na instalação do Ensino Médio.

Dentre as dificuldades, tihmaos a falta de equipamentos e instalações necessárias, bem como a ausência de docentes contratados para esse nível de ensino. A fim de resolver, ou ao menos reduzir os problemas a CASEB realizou concurso nacional para seleção de professores de ensino médio e de ensino primário. E assim em 16 de abril foi inaugurado o Centro de Ensino Médio, chamado de “CASEB”. Em 19 do mesmo mês o presidente Juscelino Kubitschek proferiu a Aula Inaugural.

Em 29 de setembro de 1960, foi instalada a Fundação Educacional, sob a presidência do Dr. Bayard Lucas de Lima. Nessa mesma data foi empossado o Conselho Diretor da FEDF, cuja primeira reunião se deu em 11 de outubro do mesmo ano (1º Livro de Atas, 1960).

No DF, a primeira escola da rede pública de ensino foi criada em 18 de outubro de 1957, na Candangolândia. Era o Grupo Escolar número 1 (GE-1), posteriormente conhecido como Escola Júlia Kubitschek em homenagem à mãe do presidente Juscelino Kubitscheck, que também era professora.
 
As 480 crianças da unidade estudavam em turno integral, com três horas extras de atividades sociais. O projeto arquitetônico foi executado em 20 dias, com autoria de Oscar Niemeyer. Mas, posteriormente, a escola foi extinta.

O primeiro ao letivo na capital teve como marco várias manifestações e protestos, tendo inclusive a primeira greve de professores em setembro de 1960. O motivo da greve foi a ausência dos alojamentos para os professores, previstos em uma cláusula contratual.
Muitos professores ficaram sem moradias, e os que receberam reclamaram que os locais eram pequenos e desconfortáveis, além de terem que dividir com outros professores. A greve foi apoiada pela população e pelos estudantes, e 10 professores foram desligados, o que gerou a necessidade da criação da primeira associação de professores, no intuito de garantir os direitos presentes nos contratos de trabalho.

Os alunos eram divididos em classes de acordo com a idade e as aptidões individuais, podendo estes escolher duas disciplinas que poderiam estudar ao longo do semestre.
Ao final de 1960 o DF já tinha dezenas de escolas provisórias e 13 escolas fixas. O plano educacional foi elaborado pelo pedagogo Anísio Teixeira.

Wilma Péres Tredicci foi a primeira gestora da Escola Classe 06, de Taguatinga, em 1963. Ela lembra com carinho dos tempos da fundação do local e dos momentos vividos como professora e na direção da unidade educacional. “Tenho saudade da época que estava nessa escola. Era uma equipe muito bacana com professoras amigas. Batalhamos muito para deixar tudo organizado para as crianças, mas devagarzinho tudo foi ficando bom. Eu lembro muito bem de cada aluno que passou por lá”, relembra Wilma, hoje com 94 anos de idade.
 
A Escola Classe 06 de Taguatinga iniciou as atividades em 11 de março de 1963, e está ativa até hoje. A unidade educacional conta com cerca de 470 estudantes, com idades de 6 a 11 anos, do 1º aos 5º anos do ensino fundamental. Ela está localizada na CNB 12, Área Especial 01.

Referências bibliográficas:

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Educação e Cultura. A origem do sistema educacional de Brasília: Criação do CASEB, 22/12/1959. Brasília: Departamento de Planejamento Educacional, 1984, p. 17-18, 24- 45. Disponível em: https://bit.ly/2NsC3Rw. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Fundação Educacional do Distrito Federal. Escolas da FEDF. Brasília-DF, V.I, 1985. DISTRITO FEDERAL. Fundação Educacional do Distrito Federal. Escolas da FEDF. Brasília-DF, V.II, 1985.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Projeto Político Pedagógico do Centro Educacional Fercal, Brasília, 2015-2016, p. 05 e 06. Disponível em: https://bit.ly/2FKsMA6. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Projeto Político Pedagógico da Escola Classe Cerâmica da Bênção, Brasília, 2017, p. 07. Disponível em: https://bit.ly/2RcpzP8. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Projeto Político Pedagógico da Escola Classe 01 de Taguatinga, Brasília 2018a, p. 03. Disponível em: https://bit.ly/2Tj2Za8. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Proposta Pedagógica da Escola Classe Riacho Fundo, Brasília, 2018b, p. 05. Disponível em: https://bit.ly/2uN89B5. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Proposta Pedagógica do Centro de Ensino Fundamental 02 de Planaltina. Brasília, 2019a, p. 09. Disponível em: https://bit.ly/2RdV8rG. Acesso em: 15 abril. 2002.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Projeto Político Pedagógico do Centro de Ensino Fundamental 01 do Planalto, Brasília, 2019b, p. 07-08. Disponível em: https://bit. ly/3aaw6CG. Acesso em: 15 abril. 2002..

O post História da Secretaria de Educação do DF apareceu primeiro em Jornal de Brasília.