Nova “Coleção Alice”, da L/Dana, traz joias inspiradas em ciclos e na intensidade da vida

Com a pandemia de Covid-19, muito tem se falado sobre a vida e o tempo, como é importante aceitar cada ciclo e fazer de cada um o melhor possível. Inspirada na intensidade da vida, a label L/Dana, marca especializada em joias feitas à mão, lançou no mês de abril a Coleção Alice, que promete encantar a todos e trazer uma nova perspectiva sobre o tempo.



O objetivo da L/Dana é transformar histórias em verdadeiras obras de arte para vestir

A ideia para criação das peças começou a partir do deus grego Kairós, que faz parte da mitologia grega como o deus do tempo oportuno, e também do clássico “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Caroll. A partir disso, a coleção foi criada com o objetivo de trazer um ritmo sincronizado ao que chamam de “relógio do coração”. Isso porque a mitologia dizia que o tempo poderia ser medido com as batidas de um relógio ou então de um coração.


Cada gema é estrategicamente lapidada e posicionada a fim de retratar a dualidade entre o tempo cronológico e o abstrato a partir da união entre dois mundos e duas perspectivas

Diferente de Cronos, que também faz parte da mitologia, Kairós deixa a ideia de que tudo acontece da maneira que deve acontecer. Com essa visão, a Coleção Alice pretende expressar respeito aos ciclos e a intensidade da vida, visualizando o tempo como algo subjetivo e íntimo, que ocorre de forma pessoal e única.



Com formatos irregulares que remetem à ampulheta e ao pêndulo, as joias buscam contrastar o conceito de tempo relógio e tempo do coração

As joias dessa coleção trazem símbolos importantes, como relógios, ampulhetas e frutas, que simbolizam o passar do tempo. As peças contam com gemas, como Topázio Azul, Howlita, Diamantes e Pérolas, simbolizando o surrealismo com designs singulares, além de com diamantes brilhantes que retratam a vaidade e fazem refletir sobre a efemeridade do mundo.

O post Nova “Coleção Alice”, da L/Dana, traz joias inspiradas em ciclos e na intensidade da vida apareceu primeiro em Jornal de Brasília.