Lojistas estão confiantes para vendas no Dia das Mães

Os lojistas do Distrito Federal estão confiantes para um aquecimento considerável do comércio no Dia das Mães. Após cerca de dois anos de pandemia, a expectativa de aumento nas vendas é de 26%, com 57,1% dos comerciantes esperando melhora no setor. Os dados foram levantados em pesquisa realizada pelo Instituto Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-DF).

Para o instituto, a data comemorativa é a segunda mais importante no comércio em todo o Brasil, perdendo apenas para o Natal. Neste ano, o índice de expectativa quase iguala o de 2018, último ano de levantamento antes de 2021, quando 60,6% dos lojistas esperavam crescimento nas vendas. Ainda segundo o levantamento, quem comprará os presentes gastará pelo menos 50% a mais que no ano passado.

O movimento crescente de consumidores nas ruas tem origem na diminuição dos casos de covid-19 no DF, de acordo com o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido Freire. “Acreditamos que isso represente, de fato, um movimento de retomada da economia, provocado pelo avanço da vacinação, pela reabertura definitiva do comércio em todo o DF e também, agora, pelo fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados”, destacou.

Segundo ele, ainda há a possibilidade das vendas superarem o esperado pelos comerciantes para 2022 no Dia das Mães. “Não me surpreenderia que as vendas este ano também ficassem acima do esperado. Isso ocorreu em quase todas as datas comemorativas no ano passado, principalmente no 2º semestre”, disse José Aparecido.

A crescente no comércio do DF pôde ser vista já durante o feriado de Páscoa, em que os comerciantes registraram um aumento de cerca de 18,08% nas vendas. Apenas 3,4% dos lojistas não têm grandes expectativas para o Dia das Mães neste ano, considerando que a receita será menor que em 2021. Por outro lado, 39,5% dos empresários entrevistados esperam a mesma quantidade de vendas.

De acordo com Cíntia Andrade, gerente da loja de sapatos e acessórios Constance, unidade 305 Sul, a expectativa de vendas é superior à da Fecomércio-DF. Segundo ela, o aumento nas vendas deverá ser significativo, igualando-se a índices de movimento de 2019, antes da pandemia da covid-19.

“Já temos vendido bem, mas para o Dia das Mães estamos esperando muitas vendas mesmo. A partir do dia 1º as pessoas já começam a vir procurar presentes. Todo ano é bom, mas esse ano esperamos um aumento de 30%”, disse. Segundo Cíntia, 2020 foi ruim e 2021 teve movimento razoável se comparado ao de antigamente.

Os itens mais vendidos na loja são sapatos e bolsas, mas para o Dia das Mães, os sapatos são os mais procurados. A média de preço que os consumidores buscam é entre R$100,00 e R$150,00, mas há produtos com valores menores e maiores, variando de acordo com o gosto e disposição de investimento dos clientes. A maioria dos consumidores são mulheres ao longo do ano, mas para o Dia das Mães e o Dia dos Namorados, a quantidade de homens aumenta, comentou, mudando também a preferência do produto.

“Os homens procuram mais bolsas, acho que para não errar na numeração do sapato quando for entregar o presente”, brincou a gerente. “Mas geralmente vêm os pais com as filhas para ajudar nas compras”, continuou. De acordo com Cíntia, a quantidade de pessoas circulando na loja dobra, passando de 150 a 200 pessoas para 300 a 400 diariamente.

Na loja Villa Semijoias, na 304 Sul, a gerente Ana Maria Vilarinho destaca que as vendas especificamente para o Dia das Mães não começaram ainda. Segundo ela, os clientes começam a procurar os presentes a partir da primeira semana de maio. Neste ano, a expectativa é a mesma que a da loja Constance, com aumento de 30%.

Segundo Ana, a maioria das pessoas espera virar o mês para comprar assim que o salário estiver confirmado, mas pelo que tenho visto nos últimos dois meses, o movimento vai voltar a ser bom”, destacou a gerente. Em 2020 e 2021, os crescimentos foram pequenos devido à escassez de eventos que aconteciam na capital.

“Apesar de termos peças para o dia a dia, nosso segmento depende dos eventos como casamentos e formaturas. E como isso está retornando mais, automaticamente já melhora bastante o nosso movimento. Os nossos acessórios vão desde os mais simples até os mais sofisticados e, como maio também é o mês das noivas, temos boas expectativas”, disse.

Os presentes mais procurados para o Dia das Mães na loja são brincos e colares, uma vez que os anéis dependem de numeração, com critério mais específico que não são todos que sabem.

Nesse sentido, ainda de acordo com a pesquisa da Fecomércio, a maior parte dos consumidores prefere comprar roupas ou acessórios, compondo 28,55% dos entrevistados. Em segundo lugar, está a preferência pelos calçados e acessórios, sendo 22,75%. Como o costume é deixar para a última hora, o fim de semana deverá ser movimentado, com 81% dos compradores nas ruas.

A modalidade de compras a ser usada pela maioria dos consumidores é o cartão de crédito, compondo 43,79% da pesquisa, seguida pelo dinheiro, com 24,84% das intenções, e depois pelo cartão de débito, 18,32%. O PIX deve compor 13,04% das vendas.

O post Lojistas estão confiantes para vendas no Dia das Mães apareceu primeiro em Jornal de Brasília.