Febraban levanta 273 denúncias de violência doméstica contra bancárias na pandemia

Joana Cunha
Rio de Janeiro, RJ

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) vai divulgar nesta semana um levantamento que mostra que as instituições financeiras receberam 273 pedidos de ajuda de funcionárias que sofreram violência doméstica entre 2020 e 2022.

Em 2021, o número de denúncias cresceu 11% em relação ao ano anterior. Este ano soma 18 casos até fevereiro.

Ainda segundo a pesquisa, que reúne dados fornecidos por 25 instituições, 11 funcionárias são violentadas por mês. As formas de agressão são muitas (física, moral, patrimonial, psicológica, sexual e virtual) e podem ser praticadas por marido, parentes ou outras pessoas do convívio familiar.

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e sindicatos da categoria assinaram, em 2020, um termo aditivo à Convenção Coletiva do Trabalho, a fim de desenvolver ações para prevenir a violência doméstica. Bancos passaram a poder oferecer linhas de crédito ou financiamento para as denunciantes, assim como canais de atendimento.

As bancárias podem solicitar transferência de unidade, caso julguem necessária. Até o momento, 11 vítimas pediram realocação.

O post Febraban levanta 273 denúncias de violência doméstica contra bancárias na pandemia apareceu primeiro em Jornal de Brasília.