Preso se passava por policial para cometer roubos

Por Tereza Neuberger
[email protected]

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio da 2ª Delegacia de Polícia, divulgou nesta segunda-feira (09) a prisão de um homem de 37 anos, acusado de se passar por policial para praticar roubos com emprego de arma de fogo. Os roubos foram praticados no mês de fevereiro, na região do Guará II e na Asa Norte.

De acordo com o delegado chefe da 2ª DP, João Guilherme, o criminoso se passava por policial por meio da ostentação de um distintivo de polícia, com o objetivo de facilitar a aproximação com a vítima, e através do emprego de arma de fogo as rendia e subtraia seus pertences. “Ele se apresentava como policial civil para ter maior facilidade na execução do crime e no momento da abordagem das vítimas com o emprego da arma de fogo.” afirma o Dr. João Guilherme.

Em três dias o criminoso praticou os roubos em dois lugares, no Guará II e na Asa Norte. No dia 21 de fevereiro o roubo foi praticado em um prédio residencial no Polo de Modas do Guará, e no dia 24 de fevereiro ele agiu novamente em um estabelecimento comercial na quadra 308 da Asa Norte. “Em ambos os crimes o autor se valeu do mesmo modo de agir, sempre com arma de fogo se apresentando como policial civil”, conta o delegado.

As investigações avançaram através da identificação e comprovação de que o veículo utilizado pelo assaltante estava no dia, hora e local de ambos os crimes. Foi possível identificar também através de uma imagem coletada o criminoso utilizando o mesmo boné nos dois roubos. Nas imagens do circuito de segurança interna do estabelecimento comercial na Asa Norte, às quais o Jornal de Brasília teve acesso, é possível ver o assaltante trajando boné e com máscara no rosto, com uma arma de fogo em mãos, o criminoso coage uma funcionária do local a se dirigir até um ambiente onde a mantém fechada.

Nesta segunda-feira (09) o acusado foi preso no Recanto das Emas pelos dois roubos com emprego de arma de fogo, através de investigações da 2ª DP e requerimento de medida cautelar ao Poder Judiciário. Já na Delegacia, o acusado confessou ter praticado ambos os crimes, além de assumir ter utilizado uma pistola calibre 380 municiada no roubo da 308 Norte, porém afirmou que no roubo do Polo de Modas do Guará, teria utilizado um simulacro de arma de fogo ao praticar o crime.

O assaltante possuía condenação criminal transitada em julgado estava em regime de cumprimento de pena domiciliar, e detinha contra si diversos indiciamentos dentre eles situações de violência doméstica, receptação de veículo roubado, falsidade ideológica e furtos. Se condenado, o criminoso pode pegar uma pena máxima aproximada de 16 anos.

As investigações prosseguem para que seja possível a identificação do homem que seria comparsa do criminoso na prática dos roubos. O homem permaneceu no veículo utilizado nos crimes para garantir a fuga de ambos os criminosos do local.

O post Preso se passava por policial para cometer roubos apareceu primeiro em Jornal de Brasília.