Raiva humana: o que você precisa saber sobre a doença

Quando falamos em raiva humana muitos são os mitos envolvidos, e consequentemente, várias dúvidas apontadas pela população: “Apenas gatos e cachorros transmitem?” , “Qual o tratamento?”, “É uma doença grave e letal?”, entre outros questionamentos comuns.



Melhor prevenir do que remediar: em casos de raiva em ambientes urbanos, a vacinação é uma importante aliada

A raiva é uma doença viral, transmitida ao homem pela inoculação do vírus rábico, contido na saliva do animal infectado, principalmente por meio da mordedura. O médico Tasso Carvalho explicou como a doença age no corpo, seus sintomas e formas de transmissão. “Caracteriza-se como uma encefalite progressiva aguda e letal, apresenta dois grupos básicos de transmissão: o urbano e o rural. O urbano ocorre principalmente entre cães e gatos e é de grande importância nos países do terceiro mundo, e o rural, que ocorre principalmente entre morcegos, macacos e raposas”, esclarece.

Todos os mamíferos são suscetíveis ao vírus da raiva e, portanto, podem transmiti-la. Já existem casos documentados de transmissão inter-humana. Ainda de acordo com o profissional de saúde, os principais sintomas são mal-estar geral, febre, perda do apetite, dor de cabeça, náuseas, dor de garganta, irritabilidade. “Em fase mais avançada pode causar delírios, espasmos musculares involuntários e convulsões.”, complementa.



Tasso Carvalho tira as principais dúvidas sobre a doença

Tasso conclui com um importante alerta: a doença pode ser fatal. “A progressão da doença pode ser fatal por conta do caráter progressivo do acometimento neurológico, inicialmente periférico e evoluindo para o sistema nervoso central. Nessa fase, causa uma difusa inflamação do parênquima cerebral chamada encefalite – fase fatal em 100% dos casos”, informa.

O post Raiva humana: o que você precisa saber sobre a doença apareceu primeiro em Jornal de Brasília.