Siderúrgicas recuam na alta do aço após corte em tarifa de importação, diz construção

Joana Cunha

A redução no imposto de importação de dois tipos de vergalhões de aço, anunciada pelo governo nesta quarta-feira (11), já fez as siderúrgicas se mexerem para não perder espaço no mercado, segundo a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção).

A entidade diz que empresas do setor foram procuradas por algumas siderúrgicas, que desistiram das propostas anteriores de elevar os preços. “Já temos informações de visitas de siderúrgicas retirando a nova tabela de preços”, diz José Carlos Martins, presidente da entidade.

A tensão entre a indústria da construção e as siderúrgicas subiu nesta semana quando o governo anunciou que cortaria as tarifas de importação.

O Instituto Aço Brasil, que representa companhias como Gerdau e Usiminas, chegou a acusar as empresas da construção de levar informações erradas ao ministro Paulo Guedes para convencer o governo de que o aço brasileiro está muito caro.

As siderúrgicas queriam que o vergalhão de aço fosse retirado da lista dos itens que teriam a tarifa cortada, mas o governo acabou reduzindo de 10,8% para 4% o imposto do produto. A CBIC comemorou a medida.

Conforme antecipo a coluna Painel S.A., da Folha de S.Paulo, a indústria da construção vinha se movimentando para buscar mais aço no mercado internacional, como fez no ano passado, com o objetivo de driblar os preços.

O post Siderúrgicas recuam na alta do aço após corte em tarifa de importação, diz construção apareceu primeiro em Jornal de Brasília.